08 janeiro 2018

The End Of The F***ing World - Netflix

Semana passada, ao correr os dedos pelo facebook me dei de cara um trailler super animado de uma série nova do Netflix, chamada The End Of The F***ing World. A série lançou na última sexta-feira (5), e trata da história dos adolescentes de 17 anos, James e Alyssa, ambos “ligeiramente” estranhos.


No trailer James se apresenta como um psicopata, e apresenta Alyssa como uma adolescentes rebelde, com problemas de raiva, motivo pelo qual James julga Alyssa como um alvo perfeito para ser sua primeira vítima humana.  Então, por planejar assassina-la, James finge-se apaixonado por Alyssa e ambos acabam roubando o carro do pai de James e fugindo da pacata cidade em que residem. Ele em busca do momento perfeito de assinar sua companheira, e Alyssa em busca de uma aventura capaz de agitar sua vida. 


O trailer se demonstrou bem animado e empolgante, contendo uma trilha sonora sensacional, humor negro e uma temática diferenciada das atualizações recentes do netflix, me senti bastante empolgada para ver a série e talvez por conta do trailer tenha criado muitas expectativas. 
Sendo assim, logo após o lançamento decidi assistir a série, e fiquei feliz ao ver que era bem curtinha e que com apenas uma sentada no sofá poderia terminar toda a temporada, tendo em vista que a série contém 8 episódios de mais ou menos 20 minutos cada um, de forma que se compara facilmente à um filme.  A atriz que faz a Alyssa (Jessica Barden) é sensacional, tendo criado uma personagem fácil de ser amada, com fibra e decidida. Porém o roteiro é um pouco frágil e não aprofunda tanto os personagens, de forma que fiquei querendo saber um pouco mais da Alyssa. Não teve transformação da personagem. Já o personagem de James (Alex Lawther) é uma caricatura menos aprofundada do personagem Norman Bates da série Bates Motel, que não toma decisões que não são facilmente críveis naquele universo ficcional. Seu personagem foi um pouco mais aprofundado na série, contando uma história trágica e uma transformação positiva em sua história. 
Ao assistir a série, ela se demonstrou animada nos primeiros 5 episódios, sendo que ao final eu senti que ela se perdeu um pouco. Os dois pontos mais altos da série, sem dúvida, são sua trilha sonora e a narrativa dos episódios, cuja maioria se inicia no ponto crítico de cada  episódio e logo após conta como os personagens chegaram até aquele momento.  No geral achei os personagens rasos, porém interpretados por ótimos atores. Também achei o final não é tão claro, abrindo a possibilidade de uma segunda temporada. Enfim, na minha opinião a série se trata de uma história com um trailer sensacional - muito melhor que a narrativa em si-, uma trilha sonora invejável e uma história que possuía muito potencial, porém talvez por ser tão curta não foi muito bem aprofundada. 
Sugiro que a série seja vista por todos, tendo em vista que é curtinha e fácil de ser assistia, porém sem grandes expectavas. 

NOTA GERAL: 4/5
> ROTEIRO: 3

> ATUAÇÃO: 5


Nenhum comentário:

Postar um comentário

PÉSSIMA PESSOA
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL