01 abril 2018

Ready Player One

Sabe quando não esperar um filme sobre games em um filme sobre games?
Agora.
Ready Player One surge ao melhor estilo Spielberg cheio de referências e ao contrário do que todos esperam ele não destaca o ambiente futurista e a evolução dos games, ele busca o retorno. A importância do mundo do entretenimento virtual da época de 80/90 quando realmente era só distração,


O filme se passa em 2044 onde o mundo quase não existe, o acúmulo de lixo é parte do ambiente e a natureza quando aparece é em forma de OASIS (não o jogo, sim a casa abrigo do pessoal da resistência) o jogo tema do filme é um mundo paralelo para onde quase toda a população foge para não encarar a própria realidade, um lugar virtual com vários ambientes que vão desde a jogos novos aos clássicos. Tudo criado por um gênio da informática incompreendido e seu sócio.


A linha tênue entre referência e spoiler é presente no filme todo, o enredo principal são os fatos que ocorrem após a morte do criador do jogo que deixa um desafio online dentro do próprio OASIS para o vencedor tornar-se herdeiro das ações e do próprio ambiente virtual.
Dentre jogadores comuns de todas as idades uma grande empresa de tecnologia treina um exército para vencer o desafio e garantir o domínio da plataforma para seus investidores e a partir daí começa uma batalha de Davi e Golias do personagem principal, seus amigos da resistência e a grande corporação.


Vale a pena pelos efeitos especiais e trilha sonora, agora pelo enredo eu apostaria que em uma série seria melhor aproveitado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

PÉSSIMA PESSOA
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL