09 junho 2018

CoffeeHouse Angel - Suzanne Selfors

Algumas pessoas sentem saudades de vampiros na literatura, mesmo aqueles que brilham. Independente dos clichês, depois que as portas dos romances impossíveis entre humanos e criaturas fantásticas se abriram, precisamos admitir que um amor impossível que surge de onde menos esperamos é capaz de gerar um bom enredo. Após a saga Fallen (que virou filme, mas não tão bom quanto os fãs esperavam e a sequência depende de um milagre) diversas obras apostaram nos anjos como novos galãs do mundo fantástico. Os elementais também tiveram seu momento em séries como Asas, por exemplo.
Em uma breve busca de livros nessa temática encontrei “CoffeeHouse Angel” de Suzanne Selfors, ainda sem versão traduzida no Brasil. Uma das características que me prenderam no enredo foi justamente a história antes do romance, os personagens possuem muita bagagem individual antes de cogitarem algum sentimento um pelo outro. Um anjo da guarda em missão tentando entregar uma péssima notícia a uma protegida sua, uma jovem conhecendo o pior da vida adulta e o valor das pessoas perante o poderoso dólar, ou seja, nenhum.
A estória gira em torno de uma cafeteria tradicional que não se rendeu as grandes corporações e se mantém funcionando e a jovem Katrina que se dedica a ajudar a família a manter seu negócio, nesse turbilhão de acontecimentos um mendigo chama a atenção ao dormir sempre atrás da cafeteria, um mendigo ou algo mais?


Entre problemas reais do mundo moderno como: emprego, costumes de cidade pequena e a ameaça da modernidade para os pequenos estabelecimentos podemos acompanhar ainda, uma garota confusa conhecendo um mundo mágico de pedidos e despedidas.
A obra é cativante, minuciosa e ao mesmo tempo dinâmica, permitindo uma leitura direta e rápida. Merecia virar filme sim, para que todos pudessem conhecê-la.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

PÉSSIMA PESSOA
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL