24 junho 2018

Precisamos falar sobre bullying?


Vocês já ouviram falar na serie 13 reasons why? Pois é, eu maratonei as duas temporadas em 2 dias. Existem vários problemas na serie e se você procurar qualquer  tipo de review na internet vai encontrar inúmeras criticas negativas, mas... Será que estamos pensando realmente sobre a série ou o que ela nos faz pensar? Claro que existe a dramatização das questões expostas, afinal é uma série de TV... mas se você parar pra pensar, você realmente acha que é algo muito longe da realidade? Vale ressaltar que eu não tenho graduação em nenhuma faculdade relacionada com saúde mental e esta review é apenas baseada em minha opinião.
Bom, pra quem não conhece a série se passa no âmbito escolar onde existem todos os tipos de alunos, sejam eles tímidos, frágeis, valentões (os famosos bullies), atletas e por ai vai... até então nenhuma novidade, podemos observar a escola do bairro da mesma forma, ver milhões de séries que envolvem isso, mas o que acaba por solidificar a série é o seu arco principal (Hannah Baker) e também seus vários arcos secundários que possuem tanta força quanto o principal. Não vou me estender falando sobre a série, mas sobre os acontecimentos da mesma.

Imagem divulgação

{TW - Spoiler/Opinião e relação pessoal sobre o assunto}
Vamos começar pelo arco principal da serie, Hannah:
 Além de ter visto a série eu li várias resenhas sobre, onde em muitas destas eu observei um desvio do olhar para o assunto em questão e apenas fora descrito como “romantizado demais”, “irreal”, “tema pesado retratado de forma dramática à qual não deveria ser exposta para não incentivar” e inúmeras outras críticas, mas podemos realmente falar que é algo irreal? Ou apenas colocar por debaixo dos panos que tais coisas existem e acontecem constantemente e não falar sobre elas? Eu digo que não! Este é um assunto de suma importância e é necessário sim falar sobre.
Nós nunca poderemos saber ao certo a intensidade que cada um realmente sente as coisas, as vezes o que é tranquilo para um não é tranquilo para o outro, não sabemos o background de todos e precisamos sim ter empatia e pensar nos outros para que coisas do tipo não aconteçam. A série é sobre a personagem Hannah, mas poderia muito bem ser com qualquer um de vocês ou com alguém que vocês conheçam e você seja um dos motivos da fita de alguém e você nem tem ideia.

http://www.redepsi.com.br

Quem aqui nunca sofreu bullying? Eu sei que eu já, e a escola agiu exatamente (se não pior) que no caso da série, chegaram a quebrar meu braço na frente da escola inteira, ninguém reagiu, falaram que se eu contasse pra diretora eu apanharia mais e mesmo indo contra e falando para a diretora, ouvi que a culpa era minha, que eu deveria ter feito algo para ter merecido tal reação (não, eu não havia feito nada, eu sou homossexual e estava apenas conversando com minhas amigas).
Então eu te pergunto, você já sofreu bullying? Já praticou bullying? Já foi omisso a alguém que precisava de sua ajuda por estar sofrendo bullying? Já viu alguém praticando/recebendo bullying? Fico com o questionamento: será que estamos muito longe do que foi retratado mesmo? Ou é só a nossa vontade de que seja diferente, a nossa vontade de pensar que algo assim estaria longe de acontecer próximo à nossa comodidade?
Seguindo podemos falar sobre relacionamentos. Ah! Os relacionamentos, quem nunca teve um coração quebrado? Uma paixonite que não deu certo? Quem nunca sentiu o mundo acabando só por terminar um relacionamento? Vale lembrar que relacionamentos não são só amorosos, temos relacionamentos com nossos pais, amigos, conhecidos, professores e etc, o ser humano é um ser social e precisamos do convívio em sociedade para uma melhor saúde mental e psicológica. Mas e quando há problemas em todos estes tipos de relacionamentos e você se encontra sozinho? Sem ter com quem contar? Não é fácil, não é mesmo?
Existem coisas mais pesadas na série, coisas que podemos pensar que nunca vão acontecer conosco nem com pessoas próximas, mas todo mundo está sujeito a passar por isso, seja após uma noite na qual você bebeu muito, seja na rua andando, seja onde for. Agora imaginem alguém passando por tudo isso, com brigas em casa, sem ninguém pra conversar.
A depressão é uma doença séria e precisa de tratamento, não existe vergonha em se tratar e todos merecemos a chance de ser feliz.
MAS TIO RAFA, CÊ TÁ LOUCO? FALANDO DESSAS COISAS? Não meus caros, não estou louco. Estou preocupado com a saúde de todos vocês. Pois não importa se eu não conheço você, você com toda certeza é importante para alguém, e mesmo que você não ache que é, você é sim! Precisamos estar abertos a falar sobre as coisas, falar sobre o que passamos e o que estamos sentindo, se não for com um amigo você sempre pode procurar alguém, existem pessoas especializadas nisso que vão poder te auxiliar. Sei que existem pessoas que passam por um milhão de coisas e não se sentem assim, e outras que passam por uma se sentem, isto não é uma competição de quem sente mais ou menos, pois como disse no começo deste texto “Nós nunca poderemos saber ao certo a intensidade que cada um realmente sente as coisas”, cada um é único, então ao invés de julgar, vamos nos ajudar! Não critique o amiguinho por ele estar pra baixo por que tirou nota baixa na faculdade, não menospreze o que a amiga ta passando porque você acha que isso é frescura.
Eu passei por muitas das coisas que são retratadas na série, tanto na primeira quanto na segunda temporada e hoje estou bem, mas este sou eu, às vezes outra pessoa não estaria. Por isso precisamos entender que coisas assim existem, mostrar que há outro caminho.
Vamos ser mais empáticos, vamos ser felizes e ajudar a trazer a felicidades pras pessoas a nossa volta!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

PÉSSIMA PESSOA
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL